Índice do Fórum BioNascimento BioNascimento
Fórum do Portal BioNascimento
 
 FAQFAQ   PesquisarPesquisar   MembrosMembros   GruposGrupos   RegistarRegistar 
 PerfilPerfil   Ligar e ver Mensagens PrivadasLigar e ver Mensagens Privadas   EntrarEntrar 

partos na água... onde?

 
Novo Tópico   Responder a Mensagem    Índice do Fórum BioNascimento -> Dúvidas, desabafos, partilhas, etc
Ver mensagem anterior :: Ver mensagem seguinte  
Autor Mensagem
Marcia



Registo: 25 Ago 2007
Mensagens: 12

MensagemColocada: Sáb Ago 25, 2007 2:51 am    Assunto: partos na água... onde? Responder com Citação

olá a todos!
Li algures no forum, que a Sandra já fez 15 partos na àgua... acho lindo!!!
Mas foram feitos onde?
Eu sou mais uma decepcionada com o 1º parto... foi como mesmo... medicalizado...
Agora ainda só pensamos em engravidar no próximo ano, mas decidi que já não caio no mesmo erro outra vez e decidi começar já a informar-me o mais possível sobre a humanização do parto. E digo já que tenho montes de dúvidas, porque ao ler os testemunhos de partos humanizados vejo que me encontro na ignorância total...
Acho que os médicos que nos seguem durante a gravidez até fazem um esforço para nós não percebermos mesmo nada... enfim, somos bonecos nas mãos deles... e ainda pior quando temos poucos recursos e temos de nos sujeitar ao nosso sistema nacional de saúde que é uma autêntica miséria.
Fui seguida no centro de saúde por uma médica que nem abria a boca pra dizer nada e se eu perguntasse alguma coisa... meu deus levava com cada resposta torta... além de que ela nem sequer era obstetra e passadas algumas consultas percebi que ela não percebia nada de obstetricia. Quando perdeu o controlo do meu caso (por causa do meu peso) mandou-me logo ir fazer as consultas na maternidade magalhães coutinho... Gostei muito do atendimento na maternidade... todos muito simpáticos. Gostei principalmente da Dra que me seguiu, era contra a cesariana e gostava das coisas mais naturais possível, mas o nosso sistema de saúde é tão... apertado que a dra tinha sempre montes de gente pra atender e nunca consegui falar com ela sobre como seria o parto, aliás nem valia a pena porque já que tudo depende da equipa que nos sai na sorte grande...
Saíram-me uns sem paciência e nas horas de espera durante o trabalho de parto cada enfemeira ou médico que entrava dizia uma coisa diferente... uma dizia para não me levatar outra dizia que só fazia bem se andasse um bocado... eu tentei, mas depois vinha outra que ralhava comigo e mandava-me deitar... enfim, como já disse, somos autênticos bonecos.
Bem, desculpem o testamento, queria perguntar uma coisa e acabei por expressar a minha revolta.
beijinhos
Voltar acima
Ver o perfil de utilizadores Enviar Mensagem Privada
S. Oliveira-BioNascimento
Site Admin


Registo: 25 Mai 2005
Mensagens: 477

MensagemColocada: Sáb Ago 25, 2007 2:20 pm    Assunto: Re: partos na água... onde? Responder com Citação

Olá Marcia,

Não tens porquê pedir desculpa, isto é um assunto que é mesmo assim, suscita muita emoção, e quando começamos a falar, as palavras vêm do coração, só quem não passou por isso é que poderá não compreender...e conheço quem ainda não tenha sido mãe, mas por já ter assistido e apoiado, compreende e muito bem, é definitivamente algo muito feminino (sem querer de forma alguma dizer que não é assunto de homens, mas é nas mulheres que suscita mais emoções).

Vês também eu já estou a fugir do assunto...bem respondendo á tua pergunta, os partos em que assisti (quem os teve foram as mulheres! eh! eh! o meu parto não foi na água...mas é desde aí que vem este bichinho...) foram todos fora do contexto hospitalar, mas felizmente o Hospital S. João do Porto muito em breve vai dar esse passo, e acredito que aí, vai ser um pouco "a corrida mais louca do mundo" para ver quem é o seguinte...aliás, já está a ser.

A verdade é que a BioNascimento quando optou pela piscina La Bassine, não foi por acaso. Foi fruto de muitas pesquisas, e concluímos que esta seria a piscina ideal por várias razões:

- É de uso único, ou seja uma piscina para cada mulher (a mim custa-me tomar banho de imersão numa banheira de hotel...não me consigo imaginar a parir, numa banheira fixa, ainda por cima num hospital...mas isso é algo muito pessoal).

- Pelo motivo acima referido é por tanto muito mais higiénica e diminui consideravelmente o risco de infecção.

- É portátil, de dimensão ideal, rápida e fácil de montar mesmo em espaços reduzidos, e de custo bem reduzido.

- Pode ser usada em/ e / ou em casa e no hospital

- São muitas as instituições que neste momento só precisam de querer para poderem dar a hipótese ás mulheres portuguesas de usarem a água no parto: é apenas necessário que exista água quente por perto, e uma casa de banho para poder descarregar a água depois do parto, e claro electricidade para se poder utilizar as bombas de ar e água. Acima de tudo precisam de se preparar para algo que possivelmente não sabem como fazer que é assistir a um parto "hands off"! Ou seja num parto na água o profissional de saúde passa definitivamente do papel activo para o passivo. Mas se dedicar algum tempo a pesquisar facilmente aprende como isso se faz. Claro que para mim, as formações que fiz no estrangeiro e todas as pesquisas que tive de fazer pela BioNascimento, me trouxeram conhecimento e confiança para dar o passo de apoiar mulheres que quisessem essa opção, mesmo que fosse fora do sistema. Fi-lo como Doula, mas também como responsável pela BioNascimento, pioneira e grande motivadora por fazer deste tipo de parto uma opção para as mulheres portuguesas. Isso foi um sonho que tive na altura da minha Rita, infelizmente por questões pessoais, não me foi possível ir a Espanha, e claro, quando iniciei este projecto, foi um dos meus principais objectivos, criar esta opção.

Marcia, com o que refiro acima, não pretendo fazer publicidade á La Bassine, mas sim, explicar o porquê de eu ter feito esta opção na BioNascimento, para que as mulheres que lerem esta mensagem o percebam, não foi por acaso, e porque quero vender piscinas, tudo o que se vende na BioNascimento, tem um propósito, que tem muito mais que a venda puramente comercial, quero acima de tudo queo parto na água seja uma opção segura disponível para as mulheres portuguesas ( o nosso maior problema no sistema de saúde é exactamente o facto de a obstetrícia estar desactualizada, e consequentemente não criar as opções que cientificamente estão sustentadas poderem ser uma prática obstétrica), e que os nossos hospitais não se desculpem dizendo que não têm estrutura nem hipótese financeira, porque com a La Bassine, o investimento pode ser totalmente feito pela mulher, e é um custo mínimo comparado com o beneficio.

Eu diria que para ter um parto na água em Portugal neste momento está muito nas mãos das mulheres, e realmente as 15 mulheres que tive a oportunidade de conhecer, são efectivamente mulheres muito especiais e que também elas decidiram abraçar esta causa, e fazerem algo que o sistema de saúde português ainda não disponibiliza, e isso requer uma grande segurança nelas mesmas, por muito que elas digam que só o fizeram porque tiveram pessoas á volta que as apoiaram e lhes deram essa opçãp, elas foram a figura chave no processo.

Em suma, compete-nos em primeiro lugar perceber porque gostaríamos de ter a água como uma opção no nosso parto e nascimento dos nossos filhos, depois temos que parar e pensar no local: aonde é que me sentiria mais segura, e, se for em casa, há que encontrar profissionais com conhecimentos para o fazer (não admiro quem o faça na base da experimentação, sem previamente se ter informado e depois falar-se que ocorreram situações assim e assado e que com o mínimo de informação e formação no parto natural perceberia que se tais coisas aconteceram, foi porque a mulher em lugar de ter um papel activo, teve passivo...mas pronto, isso são outros carnavais...), se for no hospital, há que dizê-lo a quem de direito, contar que as respostas possam ser negativas, porque tudo o que é novo é difícil do ser humano aceitar, mas com a nossa determinação e persistência, um dia (e eu acho que muito em breve) tal vai ser possível, e um dia, vai haver a primeira mulher portuguesa que o conseguiu, e quem sabe até num hospital em que não se fala nos media, a nível do parto natural...porque há muitos hospitais em Portugal com excelentes condições para o fazerem...só precisamos que estejam lá as pessoas certas também...

Bem isto é uma palavra de esperança, para uma mamã que me é muito especial, que estou a acompanhar, pela segunda vez, e que sei que vai ser mais uma que pelo menos vai poder dizer, pelo menos tive a coragem e frontalidade de dizer o que gostava de ter como opção!

Bem, desculpa, mas como vês, nós mulheres quando falamos de parto é mesmo com o coração...

Se quiseres ligar-me não hesites - 93 720 16 30.

Beijos e não desistas, pelo teu futuro parto, e pelo de tantas outras mulheres que irão parir depois de ti.
Voltar acima
Ver o perfil de utilizadores Enviar Mensagem Privada Enviar email Visitar a página na web do utilizador MSN Messenger
Marcia



Registo: 25 Ago 2007
Mensagens: 12

MensagemColocada: Sáb Ago 25, 2007 5:38 pm    Assunto: Responder com Citação

olá!
Adorei ler a tua resposta :D
É giro como nós começamos por falar de uma coisa e depois começamos mesmo a falar com o coração, como disseste, e nos alargamos nas conversas.
Eu enquanto estive grávida nunca fiz pesquisa nenhuma na net (também não tinha net) e pensei que estava segura nas mãos dos médicos.
O que a insegurança e a inexperiência nos faz...
Só depois do parto do gabriel comecei a aperceber-me do que podia ter sido diferente. E na altura achei que o parto tinha corrido muito bem, mas passados uns tempos comecei a pensar bem naquela coisa que costumam dizer: "foi o dia mais feliz da minha via!"
eu não sentia isso... aliás nem senti nada no dia do parto, a epidural deixou-me tão desorientada que fiquei sem reacção. Detestei essa sensação e é o que me entristece quando penso no suposto dia mais feliz da minha vida.
Hei-de fazer um tópico para contar como correu o meu parto... pode ser que sirva de exemplo às mamãs de 1º viagem que andem inseguras em relação a humanizar o parto.
Sandra... em relação ao parto na água, pode ser que daqui a 1/2 anos já tenham aparecido sitios onde se possa fazer. se bem que aquela questão da higiene me deixou a pensar.
Acho que lindo as pessoas que optam por terem os filhos em casa... e admiro muito a coragem.
O que me faz confusão é se corre alguma coisa mal... como é?
Tenho uma série de dúvidas normais para quem tem muita falta de informação (a qual comecei agora a pesquisar).
Agora a minha ideia era no próximo parto poder escolher o que quero...
poder andar... entre outras coisas.
As dores fazem-me alguma confusão... já li testemunhos em que algumas mamãs conseguiram descrever as dores que sentiram tão bem que fiquei arrepiada...
Eu senti dores, mas era naquela que já sabia que íam desaparecer e só tive umas 3 contracções mais fortes e acho que nem foram daquelas li nos testemunhos.
A falar nisto da epidural com o meu marido, ele ficou com cara de caso para mim e perguntou-me se eu era capaz, se eu ía aguentar as dores.
Simpático...
Também penso nisso, mas se antigamente nem havia destas coisas e as mulheres aguentavam porque não hei-de eu aguentar?
Sei que as dores devem ser mesmo muitas... as que senti foram bem fortes, mas nem tive preparação para o parto, nem ninguém que me aconselha-se o que fazer e confesso que na altura das dores ficava um pouco desorientada, mas com a noção de que tinha de respirar bem para o meu gabi receber oxigénio. Acho que se puder me movimentar à vontade talvez vá encontrando posições que aliviem ou ajudem a suportar melhor as dores.

Bem, lá estou eu a escrever "pelos cotovelos".
Tenho de escrever o testemunho do meu parto para perceberem bem as minhas dúvidas e revoltas.

beijinhos a todas e obrigada por se darem ao trabalho de lerem os meus testamentos. :D
Voltar acima
Ver o perfil de utilizadores Enviar Mensagem Privada
S. Oliveira-BioNascimento
Site Admin


Registo: 25 Mai 2005
Mensagens: 477

MensagemColocada: Seg Ago 27, 2007 11:13 am    Assunto: Responder com Citação

Olá Marcia,

Bem havia aqui "escrita" para mais uns bons metros...

Mas não te quero deixar sem resposta relativamente ao parto em casa. Como deves saber eu não sou uma defensora nem do parto em casa, nem do parto hospitalar. Sou uma defensora sim, para que sejam dadas condições para apoiar a mulher na escolha que ela fizer.

Quanto ao parto em casa, os estudos internacionais (naturalmente que em Portugal, não podemos ter esta avaliação, porque não são dadas condições para o parto em casa por parte do sistema de saúde) dizem que ele é tão ou mais seguro que o parto hospitalar.

No meu entender, o dificil em Portugal é encontrar o profissional de saúde que esteja efectivamente preparado para o parto em casa, porque quando não o estão, podemos entrar numa escalada de acontecimentos, com implicações iguais ás que ocorrem nos hospitais, por procedimentos e métodos errados...

Um destes dias tenho que escrever o que me vai na alma sobre o parto em casa vs parto hospitalar em Portugal.

Mas, em suma, eu diria que o risco, é igual em qualquer um dos sitios, apesar de procedimentos bem diferentes...por isso, só mesmo a mulher é que deverá decidir por quais é que se sente mais segura arriscar.

Beijocas, Marcia, e gosto muito que escrevas pelos "cotovelos" apesar de que eu acho é que escreves mesmo é pela Alma!

PS: Venha de lá esse relato de parto, já estou bem curiosa - se quiseres podes enviar para o nosso e-mail (geral@bionascimento.com), e depois poderá eventualmente ser publicado na zona de Testemunhos
Voltar acima
Ver o perfil de utilizadores Enviar Mensagem Privada Enviar email Visitar a página na web do utilizador MSN Messenger
Elisa Santos



Registo: 28 Ago 2007
Mensagens: 48
Local/Origem: Porto

MensagemColocada: Qua Ago 29, 2007 2:16 am    Assunto: Re: partos na água... onde? Responder com Citação

Olá! Sou enfermeira de saúde materna e obstétrica (nome pomposo e comprido) ou seja parteira :)). Gostei de ler os comentários....No hospital onde trabalho, em breve iremos ter uma banheira para relaxamento em alternativa à epidural para mulheres que desejem ter um parto natural. Relativamente ao parto na água, penso que os profissionais de saúde ainda "não estão preparados" para o fazerem.... Já muito se tem feito embora a um ritmo mais lento que a maioria dos países europeus...Portugal é um país de brandos costumes.....De salientar que nos países da comnidade europeia , como França, Inglaterra, Holanda, Dinamarca, Finlandia...são as parteiras que fazem o acompanhamento da grávida de baixo risco. em Portugal não existe clínicas pré natais orientadas por enfermeiras e não é por falta de vontade das mesmas....Os partos em casa acompanhados por uma enfermeira parteira é realizado quase que em segredo. Tenho um colega que também é parteiro como eu e que fez o parto do 2º filho em casa por opção dele e da esposa...No entanto, há quem ache que ele arriscou muito, há quem ache que foi corajoso da parte dele.... Regressando ao parto na àgua (também me desviei do tema) se alguma mulher o desejar e manifestar o seu desejo esse será realizado. Mas devo dizer que qualquer mulher que queira ter um parto natural ou não, deve estar bem informada e ainformação adquire-se ao longo da gravidez ou seja ao longo dos 9 meses de gestação. Se estiver bem informada poderá refutar as objeçoes que os profissionais de saúde possam fazer. Ou seja, a mulher para decidir tem que estar bem informada.
[quote="Doula - Sandra Oliveira"]Olá Marcia,

Não tens porquê pedir desculpa, isto é um assunto que é mesmo assim, suscita muita emoção, e quando começamos a falar, as palavras vêm do coração, só quem não passou por isso é que poderá não compreender...e conheço quem ainda não tenha sido mãe, mas por já ter assistido e apoiado, compreende e muito bem, é definitivamente algo muito feminino (sem querer de forma alguma dizer que não é assunto de homens, mas é nas mulheres que suscita mais emoções).

Vês também eu já estou a fugir do assunto...bem respondendo á tua pergunta, os partos em que assisti (quem os teve foram as mulheres! eh! eh! o meu parto não foi na água...mas é desde aí que vem este bichinho...) foram todos fora do contexto hospitalar, mas felizmente o Hospital S. João do Porto muito em breve vai dar esse passo, e acredito que aí, vai ser um pouco "a corrida mais louca do mundo" para ver quem é o seguinte...aliás, já está a ser.

A verdade é que a BioNascimento quando optou pela piscina La Bassine, não foi por acaso. Foi fruto de muitas pesquisas, e concluímos que esta seria a piscina ideal por várias razões:

- É de uso único, ou seja uma piscina para cada mulher (a mim custa-me tomar banho de imersão numa banheira de hotel...não me consigo imaginar a parir, numa banheira fixa, ainda por cima num hospital...mas isso é algo muito pessoal).

- Pelo motivo acima referido é por tanto muito mais higiénica e diminui consideravelmente o risco de infecção.

- É portátil, de dimensão ideal, rápida e fácil de montar mesmo em espaços reduzidos, e de custo bem reduzido.

- Pode ser usada em/ e / ou em casa e no hospital

- São muitas as instituições que neste momento só precisam de querer para poderem dar a hipótese ás mulheres portuguesas de usarem a água no parto: é apenas necessário que exista água quente por perto, e uma casa de banho para poder descarregar a água depois do parto, e claro electricidade para se poder utilizar as bombas de ar e água. Acima de tudo precisam de se preparar para algo que possivelmente não sabem como fazer que é assistir a um parto "hands off"! Ou seja num parto na água o profissional de saúde passa definitivamente do papel activo para o passivo. Mas se dedicar algum tempo a pesquisar facilmente aprende como isso se faz. Claro que para mim, as formações que fiz no estrangeiro e todas as pesquisas que tive de fazer pela BioNascimento, me trouxeram conhecimento e confiança para dar o passo de apoiar mulheres que quisessem essa opção, mesmo que fosse fora do sistema. Fi-lo como Doula, mas também como responsável pela BioNascimento, pioneira e grande motivadora por fazer deste tipo de parto uma opção para as mulheres portuguesas. Isso foi um sonho que tive na altura da minha Rita, infelizmente por questões pessoais, não me foi possível ir a Espanha, e claro, quando iniciei este projecto, foi um dos meus principais objectivos, criar esta opção.

Marcia, com o que refiro acima, não pretendo fazer publicidade á La Bassine, mas sim, explicar o porquê de eu ter feito esta opção na BioNascimento, para que as mulheres que lerem esta mensagem o percebam, não foi por acaso, e porque quero vender piscinas, tudo o que se vende na BioNascimento, tem um propósito, que tem muito mais que a venda puramente comercial, quero acima de tudo queo parto na água seja uma opção segura disponível para as mulheres portuguesas ( o nosso maior problema no sistema de saúde é exactamente o facto de a obstetrícia estar desactualizada, e consequentemente não criar as opções que cientificamente estão sustentadas poderem ser uma prática obstétrica), e que os nossos hospitais não se desculpem dizendo que não têm estrutura nem hipótese financeira, porque com a La Bassine, o investimento pode ser totalmente feito pela mulher, e é um custo mínimo comparado com o beneficio.

Eu diria que para ter um parto na água em Portugal neste momento está muito nas mãos das mulheres, e realmente as 15 mulheres que tive a oportunidade de conhecer, são efectivamente mulheres muito especiais e que também elas decidiram abraçar esta causa, e fazerem algo que o sistema de saúde português ainda não disponibiliza, e isso requer uma grande segurança nelas mesmas, por muito que elas digam que só o fizeram porque tiveram pessoas á volta que as apoiaram e lhes deram essa opçãp, elas foram a figura chave no processo.

Em suma, compete-nos em primeiro lugar perceber porque gostaríamos de ter a água como uma opção no nosso parto e nascimento dos nossos filhos, depois temos que parar e pensar no local: aonde é que me sentiria mais segura, e, se for em casa, há que encontrar profissionais com conhecimentos para o fazer (não admiro quem o faça na base da experimentação, sem previamente se ter informado e depois falar-se que ocorreram situações assim e assado e que com o mínimo de informação e formação no parto natural perceberia que se tais coisas aconteceram, foi porque a mulher em lugar de ter um papel activo, teve passivo...mas pronto, isso são outros carnavais...), se for no hospital, há que dizê-lo a quem de direito, contar que as respostas possam ser negativas, porque tudo o que é novo é difícil do ser humano aceitar, mas com a nossa determinação e persistência, um dia (e eu acho que muito em breve) tal vai ser possível, e um dia, vai haver a primeira mulher portuguesa que o conseguiu, e quem sabe até num hospital em que não se fala nos media, a nível do parto natural...porque há muitos hospitais em Portugal com excelentes condições para o fazerem...só precisamos que estejam lá as pessoas certas também...

Bem isto é uma palavra de esperança, para uma mamã que me é muito especial, que estou a acompanhar, pela segunda vez, e que sei que vai ser mais uma que pelo menos vai poder dizer, pelo menos tive a coragem e frontalidade de dizer o que gostava de ter como opção!

Bem, desculpa, mas como vês, nós mulheres quando falamos de parto é mesmo com o coração...

Se quiseres ligar-me não hesites - 93 720 16 30.

Beijos e não desistas, pelo teu futuro parto, e pelo de tantas outras mulheres que irão parir depois de ti.[/quote]
Voltar acima
Ver o perfil de utilizadores Enviar Mensagem Privada Enviar email MSN Messenger
S. Oliveira-BioNascimento
Site Admin


Registo: 25 Mai 2005
Mensagens: 477

MensagemColocada: Qua Ago 29, 2007 10:45 am    Assunto: Re: partos na água... onde? Responder com Citação

Olá Elisa,

É como muito gosto que a "vejo" por estas paragens.

Sinto que muitas vezes quando se fala em "parto na água", isso gera algum desconforto em alguns profissionais de saúde. No fundo a expressão parto na água utilizada pelas mulheres, não é mais nem menos, que a forma de manifestar a vontade de ter a água como uma opção para o processo, quer seja para o trabalho de parto, quer para o período expulsivo.

Até porque como a Elisa sabe, com alguma frequência a mulher por iniciativa própria sai da água no período expulsivo. Claro que importante é que seja por iniciativa própria.

É bom saber que há abertura para que a escolha seja da mulher, e que lhe seja dada a ela a posição de assumir responsabilidades pela sua escolha.



Bem-vinda!
Voltar acima
Ver o perfil de utilizadores Enviar Mensagem Privada Enviar email Visitar a página na web do utilizador MSN Messenger
Elisa Santos



Registo: 28 Ago 2007
Mensagens: 48
Local/Origem: Porto

MensagemColocada: Qua Ago 29, 2007 7:14 pm    Assunto: Responder com Citação

Concordo plenamente com a ideia da mulher assumir a responsabilidade do seu próprio parto ao invés de deixar nas mãos dos profissionais...Hoje falei com o meu colega que está a desenvolver esforços para a divulgação do parto na água. Deixo aqui o site para quem quiser eventualmente visitar: www.partoaquatico.net. Realmente o hospital de S. João a partir de Novembro/dezembro irá ter uma banheira para relaxamento em alternativa à epidural como já o disse anteriormente. Não sei se realmente vamos ter grande afluência para o parto natrural mas estamos a divulgar a informação...Agora só depende da mulher e da sua escolha. Até breve. :)
Voltar acima
Ver o perfil de utilizadores Enviar Mensagem Privada Enviar email MSN Messenger
Elisa Santos



Registo: 28 Ago 2007
Mensagens: 48
Local/Origem: Porto

MensagemColocada: Qua Ago 29, 2007 7:36 pm    Assunto: Responder com Citação

Olá Márcia! Espero não estar a ser intrometida....As suas dúvidas s as dúvidas de qualquer nulher...As contrações uterinas doem mas cada mulher "sente as suas". A sensibilidade é diferente de mulher para mulher. De acordo com muitos autores e mesmo com a OMS, deve-se incentivar a parturiente à deambulação porque a mesma ajuda ao trabalho de parto e à minimização da dor, mas, muitas grávidas preferem ficar quietinhas a fazer inspirações e expirações profundas e esperar que a contracção passe...Existem posições que aliviam a dor como a posição de cócoras ou mesmo de gatas (consideradas por muitos como pouco civilizadas). De acordo com Northrup, ginrecologista e obstétra, a mulher sabe instintivamente defender-se da dor e procura (instintivamente) a posição que melhor a alivie mas, a nossa sociedade "civilizada" aboliu os instintos porque estes s animalescos e irracionais... Por outro lado, os profissionais de saúde também não incentivam muito porque não é cómodo para eles... Mas a grande maioria da população feminina confia cegamente na tecnologia hospitalar sem questionar os procedimentos de rotina a que se submetem, um exemplo é a tricotomia (rapação dos pêlos púbicos)...
[quote="Marcia"]olá!
Adorei ler a tua resposta :D
É giro como nós começamos por falar de uma coisa e depois começamos mesmo a falar com o coração, como disseste, e nos alargamos nas conversas.
Eu enquanto estive grávida nunca fiz pesquisa nenhuma na net (também não tinha net) e pensei que estava segura nas mãos dos médicos.
O que a insegurança e a inexperiência nos faz...
Só depois do parto do gabriel comecei a aperceber-me do que podia ter sido diferente. E na altura achei que o parto tinha corrido muito bem, mas passados uns tempos comecei a pensar bem naquela coisa que costumam dizer: "foi o dia mais feliz da minha via!"
eu não sentia isso... aliás nem senti nada no dia do parto, a epidural deixou-me tão desorientada que fiquei sem reacção. Detestei essa sensação e é o que me entristece quando penso no suposto dia mais feliz da minha vida.
Hei-de fazer um tópico para contar como correu o meu parto... pode ser que sirva de exemplo às mamãs de 1º viagem que andem inseguras em relação a humanizar o parto.
Sandra... em relação ao parto na água, pode ser que daqui a 1/2 anos já tenham aparecido sitios onde se possa fazer. se bem que aquela questão da higiene me deixou a pensar.
Acho que lindo as pessoas que optam por terem os filhos em casa... e admiro muito a coragem.
O que me faz confusão é se corre alguma coisa mal... como é?
Tenho uma série de dúvidas normais para quem tem muita falta de informação (a qual comecei agora a pesquisar).
Agora a minha ideia era no próximo parto poder escolher o que quero...
poder andar... entre outras coisas.
As dores fazem-me alguma confusão... já li testemunhos em que algumas mamãs conseguiram descrever as dores que sentiram tão bem que fiquei arrepiada...
Eu senti dores, mas era naquela que já sabia que íam desaparecer e só tive umas 3 contracções mais fortes e acho que nem foram daquelas li nos testemunhos.
A falar nisto da epidural com o meu marido, ele ficou com cara de caso para mim e perguntou-me se eu era capaz, se eu ía aguentar as dores.
Simpático...
Também penso nisso, mas se antigamente nem havia destas coisas e as mulheres aguentavam porque não hei-de eu aguentar?
Sei que as dores devem ser mesmo muitas... as que senti foram bem fortes, mas nem tive preparação para o parto, nem ninguém que me aconselha-se o que fazer e confesso que na altura das dores ficava um pouco desorientada, mas com a noção de que tinha de respirar bem para o meu gabi receber oxigénio. Acho que se puder me movimentar à vontade talvez vá encontrando posições que aliviem ou ajudem a suportar melhor as dores.

Bem, lá estou eu a escrever "pelos cotovelos".
Tenho de escrever o testemunho do meu parto para perceberem bem as minhas dúvidas e revoltas.

beijinhos a todas e obrigada por se darem ao trabalho de lerem os meus testamentos. :D[/quote]
Voltar acima
Ver o perfil de utilizadores Enviar Mensagem Privada Enviar email MSN Messenger
Marcia



Registo: 25 Ago 2007
Mensagens: 12

MensagemColocada: Qui Ago 30, 2007 12:57 am    Assunto: Responder com Citação

olá!
bem, estou a adorar ler as vossas respostas.
Realmente concordo com o que a elisa disse, que os médicos não incentivam porque não é comodo para eles... pois é, era suposto no caso dos partos era eles incentivarem as mamãs a participarem e agirem da forma mais animalesca ou não desde que aliviasse as dores.
Sinceramente quando me lembro das dores que tive no parto a única posição que me vem à cabeça é de cocoras... acho que devia aliviar muito.. as minhas dores eram todas no fundo da barriga, não senti nadinha nas costas como toda a gente me dizia que ía ser. E ainda bem porque deve ser mesmo horrível.
Dentro de água então deve ser muito melhor.
Elisa, mas a dita banheira vai servir só para o tempo de dilatação?
Lembro-me de ler que o nascimento dos bebés dentro de água era muito menos traumatizante para eles visto sairem de água para água. é verdade? acho que tem muita lógica.
Bem, espero que essas coisas "peguem" para daqui a uns tempos já haver mais em mais sítios.
Se bem que quando engravidar outra vez já deva estar a morar outra vez no algarve e lá as coisas chegam mais tarde ainda.
Lá também haverá doulas?
Sinceramente o parto em casa já me começa a soar como uma possibilidade, mas ainda há muitas dúvidas para tirar.
Por exemplo, tal coisa só é aconselhada se for uma gravidez de baixo risco, certo?
Já agora alguma de vós conhece ou já ouviu falar alguma coisa sobre os hospitais de faro ou portimão? A única expriência que conheço foi da minha tia há cerca de 10 meses e foi um pouco maltratada, nem esperaram pela dilatação completa e forçaram o nascimento do bebé logo o bebé nasceu de ventosa (como aconteceu comigo) e ela ficou toda rasgada.

beijinhos
Voltar acima
Ver o perfil de utilizadores Enviar Mensagem Privada
Elisa Santos



Registo: 28 Ago 2007
Mensagens: 48
Local/Origem: Porto

MensagemColocada: Qui Ago 30, 2007 1:47 am    Assunto: Responder com Citação

Olá Márcia. O parto é um negócio rentável e há quem deseje que este seja controlado pelos especialistas...A banheira está prevista para o relaxamento do trabalho de parto. O chamado período expulsivo será fora da banheira na posição que a parturiente desejar. No entanto, penso que com o tempo e com o desejo que as mulheres possam demonstrar no parto na água este acabe por se impôr. As contrações, como eu já tive oportunidade de dizer doem e podem realmente ser no fundo das costas, no fundo da barriga ou ambas e cada mulher tem a sua própria sensibilidade de reagir à dor. A dor das contrações confronta a mulher com a sua própria finitude...A água morna ou quente relaxa e o relaxamento é muito importante para a progressão do trabalho de parto. Também acho importante (na minha modesta opinião) a mulher conheçer o seu próprio corpo e n ter nojo dele, porque a nossa sociedade ensinou-nos que a vagina é uma zona suja...Eu bem que gostava de viver no Algarve sempre é mais quente que aqui o norte... Realmenteeu não sei nada acerca dos hospitais de algarvios mas posso tentar obter informações através dos meus colegas. Márcia, se realmente desejar um parto natural em casa ou no hospital tem de estar bem informada acerca do parto, só assim poderá recusar alguns procedimentos de rotina usados nas nossas instituições se optar pelo parto no hospital. Relativamente às suas dúvidas, naquilo que eu puder, poderei tentar responder. Sim, o parto em casa é uma opção para as futuras mamãs que tiveram uma gravidez normal e que não tenham nenhuma patologia materna ou fetal.
As ventosas são uilizadas quando não temos a colaboração materna ou quando o estado do bebé não é tranquilizador. A colaboração materna é quando a futura mamã não sabe "puxar" (normalmente porque está com analgesia epidural e n tem a sensação de "puxo) ou então quando já está exausta de tanto "puxar"... Aconselho que leia as recomendações da OMS que se encontram aqui no site . Se tiver alguma dúvida ou necessite de esclarecimentos eu terei o maior prazer em responder. O parto em casa é uma opção mas acho que é capaz de ter dificuldade em encontrar uma parteira.
Já agora....A Márcia pode ter a criança onde quiser isto é, pode viver no Algarve e querer ter a criança em Lisboa ou em Coimbra ou mesmo no Porto.
Bjo
[quote="Marcia"]olá!
bem, estou a adorar ler as vossas respostas.
Realmente concordo com o que a elisa disse, que os médicos não incentivam porque não é comodo para eles... pois é, era suposto no caso dos partos era eles incentivarem as mamãs a participarem e agirem da forma mais animalesca ou não desde que aliviasse as dores.
Sinceramente quando me lembro das dores que tive no parto a única posição que me vem à cabeça é de cocoras... acho que devia aliviar muito.. as minhas dores eram todas no fundo da barriga, não senti nadinha nas costas como toda a gente me dizia que ía ser. E ainda bem porque deve ser mesmo horrível.
Dentro de água então deve ser muito melhor.
Elisa, mas a dita banheira vai servir só para o tempo de dilatação?
Lembro-me de ler que o nascimento dos bebés dentro de água era muito menos traumatizante para eles visto sairem de água para água. é verdade? acho que tem muita lógica.
Bem, espero que essas coisas "peguem" para daqui a uns tempos já haver mais em mais sítios.
Se bem que quando engravidar outra vez já deva estar a morar outra vez no algarve e lá as coisas chegam mais tarde ainda.
Lá também haverá doulas?
Sinceramente o parto em casa já me começa a soar como uma possibilidade, mas ainda há muitas dúvidas para tirar.
Por exemplo, tal coisa só é aconselhada se for uma gravidez de baixo risco, certo?
Já agora alguma de vós conhece ou já ouviu falar alguma coisa sobre os hospitais de faro ou portimão? A única expriência que conheço foi da minha tia há cerca de 10 meses e foi um pouco maltratada, nem esperaram pela dilatação completa e forçaram o nascimento do bebé logo o bebé nasceu de ventosa (como aconteceu comigo) e ela ficou toda rasgada.

beijinhos[/quote]
Voltar acima
Ver o perfil de utilizadores Enviar Mensagem Privada Enviar email MSN Messenger
CarlaRc



Registo: 01 Jun 2007
Mensagens: 5

MensagemColocada: Seg Set 03, 2007 10:37 am    Assunto: Responder com Citação

Estive a ler este tópico com todo o interesse -até porque o parto na água é uma opção a considerar para o próximo parto.

Gostaria de referir alguns pontos aqui abordados.
No hospital onde o meu bebé irá nascer existe uma banheira que é disponibilizada a todas durante o trabalho de parto, e que, dependendo do obstreta que nos segue, pode ser utilizada para o período expulsivo.
Em questões de higiene, estou confiante. Sendo um equipamento hospitalar, acredito que seja esterilizada antes e após cada utilização.

Ao contrário do que a Elisa Santos escreveu, não creio que seja sempre possível escolher o local do parto. Parece-me difícil que alguém que more no Algarve tenha a possibilidade de vir a ter o seu filho em Lisboa, por exemplo. Ou bem que muda de cidade no final da gravidez, ou bem que tem um parto com hora marcada (e neste caso, lá se vai o parto natural), caso contrário arrisca-se a ter o bebé durante o trajecto.

O ideal era que todos os hospitais respeitassem a natureza do parto.


Alegra-me saber que o tema de parto humanizado está a ganhar importância em Portugal. E que pouco a pouco, os profissionais de saúde estão a aderir a este "movimento.


Um aparte, moro no Luxemburgo, e embora a maternidade principal siga a maioria das as intruções da OMS no que diz respeito ao parto, o parto domiciliar está ainda longe de ser uma realidade - tal como em Portugal - no extremo oposto encontra-se a Holanda onde um grande nº de bebés nasce em casa.
Voltar acima
Ver o perfil de utilizadores Enviar Mensagem Privada
Elisa Santos



Registo: 28 Ago 2007
Mensagens: 48
Local/Origem: Porto

MensagemColocada: Seg Set 03, 2007 11:19 am    Assunto: Responder com Citação

Realmente escrevi que toda a mulher tem o direito a escolher o local do nascimento...Não vai há muito tempo, as mulheres tinham que se dirigir ao hospital ou maternidade da área da sua residência, foi nesse sentido que escrevi o que escrevi :)
Voltar acima
Ver o perfil de utilizadores Enviar Mensagem Privada Enviar email MSN Messenger
Mostrar os tópicos anteriores:   
Novo Tópico   Responder a Mensagem    Índice do Fórum BioNascimento -> Dúvidas, desabafos, partilhas, etc Todos os tempos são GMT + 1 Hora
Página 1 de 1

 
Ir para:  
Neste fórum, você Não pode colocar mensagens novas
Não pode responder a mensagens
Não pode editar as suas mensagens
Não pode remover as suas mensagens
Você Não pode votar neste fórum


Powered by phpBB 2.0.21 © 2001, 2002 phpBB Group