Índice do Fórum BioNascimento BioNascimento
Fórum do Portal BioNascimento
 
 FAQFAQ   PesquisarPesquisar   MembrosMembros   GruposGrupos   RegistarRegistar 
 PerfilPerfil   Ligar e ver Mensagens PrivadasLigar e ver Mensagens Privadas   EntrarEntrar 

Dificuldade com a papa e a sopa

 
Novo Tópico   Responder a Mensagem    Índice do Fórum BioNascimento -> Dúvidas, desabafos, partilhas, etc
Ver mensagem anterior :: Ver mensagem seguinte  
Autor Mensagem
Afiuza



Registo: 31 Mar 2008
Mensagens: 5

MensagemColocada: Sex Set 05, 2008 3:28 pm    Assunto: Dificuldade com a papa e a sopa Responder com Citação

Boa tarde,

Graças à ajuda da Sandra consegui dar de mamar à minha filha, exclusivamente até aos 6.
Agora começou o que está a ser um drama, hà 2 semanas que comecei com a 1º papa da Nutribén e com a sopa, mas ela rejeita. Fecha a boca e chora de tal forma que parece que lhe estamos a fazer mal.
O meu leite ela continua a beber e bem.
Já tentei fazer a papa com o meu leite mas o resultado foi o mesmo, não come :(
Aceito suguestões para resolver esta questão, porque se não o médico diz que tenho de secar o leite, e já que tenho tanto não queria secar.

Obrigada pela atenção.
Ana Fiúza
Voltar acima
Ver o perfil de utilizadores Enviar Mensagem Privada
Sílvia



Registo: 24 Ago 2005
Mensagens: 97
Local/Origem: Odivelas

MensagemColocada: Sex Set 05, 2008 7:13 pm    Assunto: Responder com Citação

Olá, Ana!

Fantástico! Ainda bem que a amamentação em regime de exclusividade correu tão bem! É meio caminho andado para o êxito da fase que se segue. Vais ver que serás igualmente bem sucedida...

Antes de mais, esclarece-me só o seguinte:

- De que papa Nutribén estás a falar? É láctea? Tem adição de açúcar (procura nos ingredientes a referência directa ao açúcar ou à sacarose)?

- O que é "a sopa" de que falas?

- Começaste a dar papa e sopa ao mesmo tempo, à tua bebé?

- Começaste por lhe dar dessas refeições extra quantas vezes por dia? E que quantidade?

- No momento do dia que escolheste para lhe dar papa ou sopa, achas que ela não tem fome, tem alguma fome, ou está esfomeada?

- Dizes que lhe continuas a dar do teu leite... Como? Com que frequência?

Assim que me consigas responder a estas questões, vou tentar ajudar...

Quanto à opinião do médico, não me parece que faça parte das suas atribuições "mandar secar o leite" seja de quem for, muito menos de uma mãe e de um bebé aptos e desejosos de prosseguir com a amamentação...

Bj.
Voltar acima
Ver o perfil de utilizadores Enviar Mensagem Privada Enviar email Visitar a página na web do utilizador MSN Messenger
Afiuza



Registo: 31 Mar 2008
Mensagens: 5

MensagemColocada: Seg Set 08, 2008 3:01 pm    Assunto: Responder com Citação

Boa tarde,

Vou responder às suas questões uma por uma:


[b]- De que papa Nutribén estás a falar? É láctea? Tem adição de açúcar (procura nos ingredientes a referência directa ao açúcar ou à sacarose)?[/b]

Tentei dar a 1ª papa para fazer com leite e a para fazer com água, mas ela não come nenhuma das duas. Depois tentei a Holle que vi tb aqui no site e essa ela já vai comendo umas colheres.

[b]- O que é "a sopa" de que falas? [/b]

A Sopa que faço é composta do seguinte:
100grs de batata;
50grs de cenoura;
60grs de alface;
25 de borrego;
200ml água;
1 colher de azeite.

[b]- Começaste a dar papa e sopa ao mesmo tempo, à tua bebé? [/b]


Não, primeiro começei com papa, depois passado dois dias com a sopa sem carne, passado 4 dias introduzi a carne.

[b]- Começaste por lhe dar dessas refeições extra quantas vezes por dia? E que quantidade? [/b]

1ª refeição - mama
2ª refeição - sopa
3ª refeição - mama
4ª refeição -papa
5ª rfeição - mama
Come mais ou menos de 4 em 4 horas

[b]- No momento do dia que escolheste para lhe dar papa ou sopa, achas que ela não tem fome, tem alguma fome, ou está esfomeada? [/b]

Esta bébé já é o meu 2º filho, e tanto ela como ele nunca manisfestaram fome. Ela até hoje nunca chorou a pedir comida. Come aquela hora porque acaba o intervalo das 4 horas.

[b]- Dizes que lhe continuas a dar do teu leite... Como? Com que frequência? [/b]

O meu leite dou-lhe no biberon na 3ª e 5ª refeição. A 1ª refeição e se ela acordar de noite agitada dou-lhe mama.

Obrigada pela atenção, aguardo então algumas dicas.
Ana Fiúza
Voltar acima
Ver o perfil de utilizadores Enviar Mensagem Privada
Sílvia



Registo: 24 Ago 2005
Mensagens: 97
Local/Origem: Odivelas

MensagemColocada: Seg Set 08, 2008 11:42 pm    Assunto: Responder com Citação

Olá, Ana! Boa noite!

Antes de mais, esclareço que, no que toca à "alimentação complementar", não tenho outra habilitação que não seja a que me confere a minha condição de mãe de dois filhos, como tu. A par disto, a par do que me dizem os meus instintos, tive a sorte de poder contar até agora com a ciência e bom senso de três referências fundamentais: a minha Doula, Sandra Oliveira; o pediatra espanhol Carlos González, especialista em amamentação e alimentação infantil; e a própria OMS (Organização Mundial de Saúde).

Antes de passar em revista cada uma das tuas respostas, uma a uma, venho sugerir-te que leias o que já tive oportunidade de escrever no sub-fórum da Amamentação, no tópico "6 meses à mama... E depois?..."

Passando então às questões que te coloquei e às respostas que deste, embora baralhando-lhes a ordem:

- De acordo com a OMS, a partir do momento em que se dá a conhecer ao bebé outro(s) alimento(s) que não o leite materno, dizemos que damos início à chamada "alimentação complementar". Este termo é importantíssimo e seria bom que se reflectisse sobre ele: se o que o bebé vai comer de novo é um mero COMPLEMENTO do que já come (leite materno), quer isto dizer que o leite da mãe se mantém como a sua principal fonte de alimento, O PRINCIPAL ALIMENTO DO BEBÉ CONTINUA A SER O LEITE MATERNO, O MAIS IMPORTANTE! De tal forma importante, que a própria OMS defende que nenhuma das mamadas do bebé deve ser substituída por outro alimento, mas apenas complementada com comida, ao contrário do que recomenda a maior parte dos nossos pediatras! Que quer isto dizer, na prática? Simples: que o bebé deve mamar e só depois comer o que a mãe decidir dar-lhe à colher, ou, ao contrário, comer o(s) novo(s) alimento(s) e mamar em seguida. Curiosamente, o meu filho até vai mais pelas duas opções - não dispensa entrada nem sobremesa... :lol: E, ao contrário do que se possa pensar, as coisas até funcionam muito bem assim. Um bocadinho de mama logo de início acalma-lhe a fúria da fome e deixa-o receptivo à novidade que se segue; e um bocadinho (às vezes um bocadão!) de mama no fim contribui para lhe tornar familiar o momento da refeição e relaxa-o. Infelizmente, com a entrada para a creche, deixou de ser exactamente assim enquanto ele lá está, mas procuro que seja sempre assim em casa...

- Não foi por acaso que te perguntei o que era a sopa. Aliás, só não perguntei também o que era a papa, porque citaste logo a marca comercial que usaste. Na verdade, esta é uma questão que, em meu entender, foi inventada por conveniência comercial. Ainda ninguém me conseguiu explicar até hoje, de forma convincente, o que distingue uma sopa para bebé de uma papa. Em ambos os casos falamos de alimentos triturados, tanto uma como outra pode incluir cereais, tanto uma como outra pode ser doce ou nem tanto, tanto uma como outra pode ser feita com ingredientes crus ou cozinhados... enfim, podia continuar por aí fora. Isto só para te dizer que, quanto a mim, a velha questão do "começa pela papa ou pela sopa?" é absolutamente irrelevante. Os únicos critérios por que me pautei, quando tive de iniciar a "alimentação complementar" do meu filho mais novo, foram 4:

1º Favorecer o reconhecimento dos alimentos um a um (evitar cocktails de alimentos com uma imensidade de ingredientes à mistura);

2º Proporcionar a descoberta de novos alimentos tendo em conta a familiaridade dos sabores;

3º Dar atenção ao valor nutricional dos alimentos escolhidos;

4º Dar atenção ao teor calórico dos alimentos seleccionados.

Passo a explicar os pontos anteriores:

1º Uma grande salganhada de alimentos, naquilo a que vulgarmente se chama uma "sopa" tem diversos inconvenientes:

-Seguindo o critério da introdução de novos alimentos um a um, primeiro que se chegue a uma "sopa" de 10 ingredientes, levamos, no mínimo, cerca de um mês até conseguirmos testar a tolerância do cocktail completo, para acabarmos por dar à criança uma sopa que tem sempre o mesmo gosto e de que ela se vai cansar - estando habituada ao leite materno, que muda de gosto constantemente;

- Negamos ao bebé a possibilidade de reconhecer e se habituar verdadeiramente ao gosto de cada alimento per si - depois, mais tarde, não gosta de ervilhas, não gosta de tomate, não gosta de... e de... e de..., porque na verdade não reconhece nada de familiar nesses sabores, nunca os experimentou verdadeiramente;

- Perdemos a oportunidade de "caminhar" devagarinho pela lista de alimentos de acordo com o critério da familiaridade, de que falarei a seguir.

Eu até compreendo a ânsia com que as mães compõem estes cocktails, eu também os fiz em tempos - não vá faltar algum nutriente muito importante ao nosso besnico, toca de pôr tudo lá para dentro! Só nos esquecemos que os bebés não são contentores e se quisermos seguir a lógica da alimentação complementar sugerida pela OMS, rapidamente compreendemos que a estratégia é não só contraproducente como desnecessária - o bebé vai enjoar depressa o cocktail e lucra muito pouco com ele, uma vez que o leite materno continuará a suprir a maior parte das suas necessidades nutricionais, excepção feita para um ou outro nutriente que, esses sim, devemos fazer o possível por privilegiar no novo plano alimentar dos nossos bebés.

2º Com o critério da familiaridade dos sabores refiro-me à necessidade de ir dando ao bebé alimentos cujo sabor se aproxima o mais possível daquilo que ele já conhece - sabores pouco intensos, suavemente adocicados (as mamãs que já provaram o seu próprio leite saberão do que falo)

3º Claro que o valor nutricional dos alimentos que vamos escolher é muito importante. Para isso, convém estarmos a par, sobretudo, daqueles nutrientes em que o leite materno se tornou deficitário por volta dos 6 meses do bebé. Sabendo, por exemplo, que o leite materno já não traz ao bebé a quantidade de ferro de que precisa e que as reservas que trazia consigo estão já no mínimo, convém ter o cuidado de enriquecer as papas/sopas com alimentos ricos em ferro.

4º Como lembra o Dr. Carlos González, os bebés procuram "bombas calóricas" para suprir nas suas necessidades de energia e é a estes alimentos que gostam de dar preferência.

Como paradigma do que acabo de expor, costumo dar o exemplo de uma sopa/papa que o meu bebé adora: sopa/papa de castanhas com algas Hijik, cozidas em leite de aveia. Porque considero perfeita esta sopa/papa? Vejamos como obedece a cada um dos 4 critérios que adiantei há pouco:

1º O sabor da castanha é dominante e é este que o bebé vai guardar na sua memória gustativa. Não há mistura de gostos que o baralhem e que o façam não reconhecer nada no meio de tudo;

2º O gosto do leite vegetal (neste caso, aveia) é o que conheço de mais aproximado do meu próprio leite e a castanha torna-o ainda mais agradável, por ser adocicada;

3º Preocupada com o défice de ferro e outros sais minerais, escolhi as algas hijik - muito ricas nestes nutrientes;

4º Aveia e castanha - campeões de energia e calorias - os bebés agradecem.

Poderão dizer-me que esta sopa não é completa em termos nutricionais... Pois não! Nem se pretende que seja, por dois motivos: o bebé continua a ter o magnífico alimento que é o leite da mãe e sopas há muitas, como os chapéus. e o que falta à sopa de segunda-feira, pode muito bem aparecer na de terça e por aí adiante... a diversificação é garantia de alimentação equilibrada.

Ana, voltando às tuas respostas, penso que, no caso das papas Nutribén, o que falhou talvez tenha a ver com o 2º critério. Vale portanto a pena explorar alternativas, como tu própria já fizeste e muito bem

Pelo que escrevi, penso que consegui comentar o que me respondeste. Deixo só dois alertas: as mamadas ao longo do dia devem manter-se em horário livre, na medida do possível, e muita atenção às doses da alimentação complementar! Para teres uma ideia, o meu bebé raramente come mais do que 100/150 ml de papa/sopa de cada vez - o que começou por acontecer só uma vez por dia e agora passou a duas vezes - conforme recomenda a OMS, até aos 8 meses, caso o bebé se mantenha amamentado com frequência, caso contrário o número de refeições complementares deverá aumentar.

Caso me tenha escapado alguma coisa - o que aconteceu com certeza! - é só voltares à carga. Vai dando notícias, sim?

Bj.
Voltar acima
Ver o perfil de utilizadores Enviar Mensagem Privada Enviar email Visitar a página na web do utilizador MSN Messenger
Sílvia



Registo: 24 Ago 2005
Mensagens: 97
Local/Origem: Odivelas

MensagemColocada: Sáb Set 27, 2008 6:53 pm    Assunto: Sopa/papa de castanha Responder com Citação

Já mo pediram há muito tempo, mas só agora consigo um bocadinho para esclarecer como faço a sopa/papa de castanha, que o meu bebé adora. Cá fica então, com o devido pedido de desculpas pelo atraso.

Não tem especialidade nenhuma e é muito fácil de fazer:

1º Leva-se ao lume uma panela pequena, mais alta que larga, com um fundinho de leite de aveia naturalmente enriquecido em cálcio, disponível em qualquer casa de produtos ditéticos;

2º Deita-se na panela umas 10 a 15 castanhas congeladas (compram-se aos sacos em qualquer grande superfície comercial), umas 3 a 5 cenouras grosseiramente raladas, e um punhado de algas hijiki demolhadas;

3º Deixa-se cozer até vermos que as castanhas estão a abrir-se (é rápido!) e passa-se tudo com a varinha mágica!

4º É só juntar um pouquinho de azeite - é bom não desperdiçar as poucas fontes de pura vitamina E de que dispomos!

Para início da alimentação complementar esta sopa/papa é excelente, podendo mais tarde ser enriquecida com carne, peixe, tofu... Mas só uma dessas fontes mais fortes de proteína - não estraguem o sabor dominante da castanha (tão bom!) com mais salganhada! O bebé agradece - eles não gostam muito de "sopas contentor" cheias de entulho... :)))))

NOTA: O "pormenor" dos ingredientes ralados é muito importante! Assim reduzem a quantidade de líquido necessária para a cozedura e o valor nutricional da sopa fica condensado numa sopa mais grossinha e doce. O líquido não deverá ser visível depois de todos os ingredientes na panela.
Voltar acima
Ver o perfil de utilizadores Enviar Mensagem Privada Enviar email Visitar a página na web do utilizador MSN Messenger
Lilly



Registo: 12 Out 2008
Mensagens: 6

MensagemColocada: Sex Jan 09, 2009 2:04 am    Assunto: Responder com Citação

Ola!

Acho que são faladas muitas coisas importantes neste tópico e só quero juntar a minha experiencia com a minha filha. (6,5 meses)
Também pensei que só vou dar mamã até 6 meses.
Isso parece na nossa sociedade ser uma marca mágica, encima muitas mães já començam dar sopa com 4 meses. Mas isso já diz claramente, não vou fazer. Depois toda a familia e também amigos sem filhos ficaram cada vez mais ansiosos "Ela já tem 5 meses e meio. Já fica tempo dar sopa/papa"
Nós experimentámos e ela ficava com borbulhas enormes em todo o corpo.
Pode ser uma alergia. Mudamos o alimento ( cenoura) para abobra e ficou um bocad melhor. Ela até comia ( devagar, mas comia, até queria segurar propria o colher) Mas eu não me sinti bem, por qualquer razão.
Deixamos a comida e agora estou amamentar mais um mezinho, só.
O interesse dela na comida cresce dia á dia e damos as vezes comida dos nossos pratos para ela pode experimentar ( nada salgada, com especerias, por exemplo: couve flor cozida,...) normalemente ela só ponha na boca e depois deixa cair ou brinca um bocadinho.
Ela não mama mais do que antes, só com mais força e continua a crescer.
Uma vez li, que o leite materno tem 75 kcal em 100ml, mas a cenoura só 17 kcal. Por causa disso, não temos pressa nenhuma induzir alimentos.
Comer é uma coisa tão natural como dormir. Não decidimos um dia para as crianças "Hoje vais comer/agora chega a hora para seres cansado", mas deixamos as crianças aproximar-se devegar na comida dos "grandes" e aliviamo-nos do grande stresse.
Pelo menos isso é a minha vista e só queria partilhar.
Quando a minha filha vai comer "mesmo", vou informar vocês:)
Voltar acima
Ver o perfil de utilizadores Enviar Mensagem Privada
Lilly



Registo: 12 Out 2008
Mensagens: 6

MensagemColocada: Qui Jan 15, 2009 9:34 pm    Assunto: Responder com Citação

Ola!

Como diz antes, vou informar-vós, quando a minha filha come papa. E agora ela come, com toda a força. Queria amamentar mais 2 semanas só, mas ela ficou muito impaciente a ver nós comer, e damos ela durante as nossas refecões sempre um bocad casca seca do pão alentejano para interdir-se. 4 dias passadas chegou o dia, quando ela acabou mamar e ainda estava chorar. Fiz-lhe uma papa com batata e brocolos e ela fica toda contente. Agora damos isso a ela durante o tarde. Ela não come grande quandidades, até eu não faz minimamente questão, da quantidade, que os pediatros aconselhem. Um pediatro, que aconselha secar o leite com 6 meses idade de bébe, sem qualquer razão, não parece-me ser bem informado. Um bébe até 8/9 meses nunca ia ser mal-alimentado só com leite da mama. Por isso não preocupo me muito com a quantidade.
Ela brinca mais do que come, sempre segurando propria o colher.
Para mim funciona assim, evitar conflictos. "Com comida não se brinca", acho que não podemos aplicar em bébes tão pequenos. Eles devem explorar toda este coisa com muita alegria e prazer, com todos sentidos. Para se sujarem todos com a papa, incluindo a nós...
Voltar acima
Ver o perfil de utilizadores Enviar Mensagem Privada
Mostrar os tópicos anteriores:   
Novo Tópico   Responder a Mensagem    Índice do Fórum BioNascimento -> Dúvidas, desabafos, partilhas, etc Todos os tempos são GMT + 1 Hora
Página 1 de 1

 
Ir para:  
Neste fórum, você Não pode colocar mensagens novas
Não pode responder a mensagens
Não pode editar as suas mensagens
Não pode remover as suas mensagens
Você Não pode votar neste fórum


Powered by phpBB 2.0.21 © 2001, 2002 phpBB Group